Blog

Nada de rosas, o Dia Internacional da Mulher merece respeito e equidade

Dia Internacional da Mulher - SheWorks

Diversidade e inclusão é assunto sério para a Sodexo e, isso não é novidade. Mas, você sabia que um dos nossos principais pilares está relacionado à equidade de gênero? Neste Dia Internacional das Mulheres, conheça um pouco mais sobre a nossa cultura focada em promover oportunidades para todos.

Alinhada ao Better Tomorrow 2025, a Sodexo procura garantir o equilíbrio de gênero, tendo a meta de alcançar uma proporção de 40-60% de equipes femininas/masculinas em todos os níveis da organização, e que 40% dos líderes seniores sejam mulheres nos próximos anos.

“Nós da Sodexo temos e apoiamos diversas iniciativas com o objetivo de empoderar mulheres para que sejam protagonistas em suas vidas. Nós promovemos a sororidade e sugerimos que cada um atue na propagação desta atitude.”, diz Andreia Dutra, Diretora-Presidente da Sodexo On-site Brasil.

Conheça algumas histórias de mulheres que fazem parte do Programa SheWorks e de colaboradoras da Sodexo, que representam a incrível força que faz a nossa empresa funcionar, não só no país, mas em todo o mundo.

IRACEMA LAUREANO DE OLIVEIRA BARROS – 72 ANOS (Colaboradora Sodexo)

Dia Internacional da Mulher - SheWorks

Copeira Hospitalar na Sodexo há 6 meses, Iracema foi aquele caso de escolha mútua!

“Eu já era aposentada quando vim para cá, mas sabe como é, precisamos continuar no mercado para ter uma vida confortável. A Sodexo realmente me acolheu, e tendo a idade que tenho é difícil conseguir uma vaga, mas isso, inclusive, foi um fator abraçado pela empresa.”, diz a copeira.

Iracema é uma mulher de 72 anos realizada, com 43 anos de casamento, filhos criados e, agora, um novo desafio, uma profissão que nem esperava ter, mas que adora.

“Me sinto muito acolhida, principalmente pelos meninos. Nesses 6 meses de empresa, eu já tive uma festinha de aniversário logo que entrei e, agora devo ter uma pizza pelo tempo de casa que completo. Aqui, nós nos tratamos como família. Para mim, fazer parte disso, ainda mais pela minha idade, é uma oportunidade nova de me sentir valorizada não só como mulher, mas como ser humano.”, relata Iracema.

CAROLA CARVALHO – 23 ANOS (Colaboradora Sodexo)

Dia Internacional da Mulher - SheWorks

Assim como Iracema, Carola está há 6 meses na Sodexo como Copeira Hospitalar. Porém, essa é sua segunda passagem pela empresa sendo a primeira em 2017, quando pediu para se afastar por problemas pessoais.

Carola é mulher de alma. Mulher-trans, ela já passou por situações onde se viu obrigada a esconder quem era.

“Na primeira vez que fiz uma entrevista para a Sodexo, eu vim vestida de homem, até porque em todos os lugares anteriores eu tive que ir desta forma. Mas, a minha surpresa foi grande quando eu ouvi que eu poderia ter vindo vestida da forma como eu me sentia melhor. Escutei do RH que eles buscavam pelo meu trabalho e, não pelo que aparentávamos. A Sodexo respeita quem eu sou, por isso me sinto mais confortável em ser a Carola aqui do que em qualquer outro lugar, pois o mundo nem sempre é acolhedor.”, relata a copeira.

Segundo Carola, ser uma pessoa trans demanda muita força, principalmente sendo mulher-trans. O mundo não é seguro e, situações pouco favoráveis, além de experiências traumáticas acontecem com frequência. “Conseguir estar em um lugar em que é possível trabalhar de forma digna, poder contar com uma renda no final do mês e, ainda ser respeitada por quem somos é um passo muito importante para meu crescimento pessoal, como mulher. Sou muito agradecida por poder estar aqui.”, relata Carlota.]

MARIANA SANTANA – 27 ANOS (Participante do SheWorks)

Dia Internacional da Mulher - SheWorks

A engenheira mecânica, Mariana, é uma das participantes da edição de 2020 do SheWorks. A jovem, relata que ter uma profissão considerada masculina é um desafio diário e que enfrenta desde o início de sua carreira.

“Minha turma na faculdade tinha 110 pessoas, sendo apenas 7 mulheres. Isso mostra o quanto nossa profissão ainda carrega o peso de ser algo mais masculino, sendo que é para todos. Toda vez que alguma de nós levantávamos em sala, sempre ouvíamos suspiros, comentários ou alguma outra manifestação. Eu por exemplo, evitava ir ao banheiro para não passar por isso. Mas, ao mesmo tempo foi neste ambiente que percebi que não podemos falar isso de todos, muitos homens ajudavam a proteger, a cuidar, e isso é o real papel deles na luta da mulher pela igualdade e respeito.”, relata Mariana.

Mariana ainda relata o quão foi importante sua participação no programa SheWorks da Sodexo. “Em particular, participar deste programa foi enriquecedor pelas experiências e oportunidades de carreira que vocês disponibilizam. Isso não é visto em outras empresas!

Eventos como esse ajudam a fazer com que nós, mulheres, entendamos qual é a nossa real importância e, principalmente que o nosso lugar é em qualquer lugar!”, finaliza.

HANNA SERRUYA – 29 ANOS (Participante do SheWorks)

Hanna é uma jovem engenheira civil, participante do SheWorks, que vive de obra em obra. Já escutou muitos comentários na época em que escolheu sua carreira, de que as mulheres que cursavam engenharia eram feias, masculinizadas ou lésbicas.

Em sua rotina de visitas em obras teve diversos problemas por ser mulher. “Eu não conseguia ir visitar obras sozinha, precisava sempre estar acompanhada do meu chefe (que era homem). Se estivesse sozinha, era muito comum ouvir piadinhas sobre minhas capacidades como profissional ou, então, alguém mexer comigo e usar um palavreado inadequado.”

Para Hanna, participar do SheWorks foi muito bom para entender que existem empresas realmente focadas em tornar o mundo mais igualitário. Para ela, isso motiva a continuar acreditando que a carreira vai ser feita de realizações. “É bom sabermos que temos espaço”, finaliza.

HELOISA TAKAHANA – 31 ANOS (Participante do SheWorks)

Heloisa é uma jovem que se descobriu nas artes, lia muito sobre arquitetura, mas foi na engenharia civil que se encontrou como profissional. A participante do SheWorks de 2020 relata que na profissão em que escolheu precisa se provar o tempo inteiro.
“Trabalho em obras de readequação de comunidades e, sempre preciso estar rodeada de homens. Me sinto provada o tempo inteiro, como se as pessoas não acreditassem na minha expertise. Muitas vezes não escutam o que tenho a dizer, e acabam por fazer o que eu sugeri. Isso acaba nos desapontando como mulher.”, relata Heloisa.
Fazer parte de um projeto como o SheWorks, para Heloisa, foi um momento muito especial. Para ela era muito difícil encontrar algo que pensasse nela como profissional e ao mesmo tempo como mulher.
“Passei em diversas empresas que não respeitavam a gente como pessoa, para eles era como se fossemos apenas números que formavam o quadro de colaboradores. Conhecendo o SheWorks, e mais a fundo, a Sodexo eu percebi que o colaborador é algo muito valorizado, ainda mais em suas diferenças e singularidades. Isso me motiva, pois eu quero ser parte de um lugar que me permita ser uma mulher que inspire outras mulheres.” Completa Heloisa.

Leia mais

Todos os direitos reservados Webcompany